13 de fevereiro de 2018 Comentários (0) Diz aí Richard, Fauna e Flora

Copaíba: Richard Rasmussem revela detalhes dessa maravilhosa árvore

Compartilhe em suas redes favoritas

COPAÍBA – o nosso aventureiro Richard Rasmussem revela pra gente detalhes da COPAIBA, uma árvore famosa que tem mais de 35 espécies que são encontradas desde a Floresta Amazônica até a floresta de Araucária, no sul do nosso país.

“A COPAÍBA é uma árvore conhecida e utilizada pelo homem do Continente Americano e Sul-americano há centenas de anos, ela produz um óleo muito cheiroso que tem importantes propriedades medicinais, desde um poderoso cicatrizante (anti-inflamatório) até em pesquisas de combate ao Câncer”, explica Richard no vídeo.

Copaíba: símbolo da Macboot

Você sabia que a COPAÍBA está presente no logotipo da Macboot? É isso aí! E isso não é mero acaso, afinal, a Missão da Mac boot é: Inspirar momentos de felicidade na vida de nossos consumidores seja ao ar livre ou no trabalho, com responsabilidade e consciência socioambiental.

A Macboot é uma empresa que se tornou pioneira e referência em SUSTENTABILIDADE ao trazer o slogan “Respeite seu planeta” e desenvolver projetos como o Click e Plante, que resultou em mais de 1,5 milhão de árvores plantadas no Brasil.

Curiosidade sobre a árvore COPAÍBA

– Efeito antisséptico sobre o tratamento urinário;
– Ajuda em cistites, incontinência urinária,
– Atua como expectorante em tosses, gripes, resfriados, bronquites, asma.
– Elimina fleuma calor do pulmão se utilizado em padrões
– Possui ação de disenterias em pequenas doses;
– Cicatrizante de úlceras no tubo digestivo;
– Útil no tratamento de caspa, dermatite seborreica, acne, urticária, psoríase e herpes;
– Coadjuvante na gonorreia e sífilis, nas leucorreias uso interno e externo;
– Cicatrizante geral e leve anti-inflamatório;
– Suposta ação antitumoral;
– Utilizado como conservante pela indústria de cosméticos;

Precauções no uso da COPAÍBA

– Altas dosagens ou hipersensibilidade podem causar irritação gástrica, náuseas, vômitos, diarreia, cólicas intestinais e exantemas;
– Deve-se evitar em grávidas e lactantes.
– Deve-se utilizar com cuidado em pacientes com deficiência do QI ou Yang do Baço, pois pode agravar esse quadro;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *