A jiboia (Boa constrictor) é a segunda maior serpente brasileira, ficando apenas atrás da sucuri. Pode atingir mais de 4 metros, porém é mais comum encontrar jiboias de 1 a 3 metros de comprimento.

Apesar do tamanho, a jiboia é uma cobra inofensiva para o ser humano. Circulam por aí muitos mitos sobre ela. Dizem que a jiboia é venenosa, que enrola na gente e não solta, quebra os ossos, que pode comer um boi… Na realidade, elas são serpentes constritoras, ou seja, que abatem suas presas por asfixia, apertando-as. Se ela quebrar algum osso da presa no processo, pode ter certeza que nao foi a intenção, afinal ela come a presa inteira, ossos fora do lugar nao seriam uma boa ideia!

Quando encontra um ser humano, a jiboia não pensa em comê-lo – mas sim em ser comida! Então, ela só tem uma alternativa: abrir a boca emitindo o som conhecido como o “bafo da jiboia” e desferir botes tentando afastar o possível predador. Ora, se ela quer distância, para quê iria se enrolar num humano? Nem a maior das jiboias consegue comer um.

Agora você já sabe que jiboias são amigas, mas isso não basta. Todos os dias, estas magníficas serpentes sofrem com o desmatamento, atropelamento e também por preconceito e falta de conhecimento humano.

É preciso acabar com tantas lendas e mitos acerca destes animais e respeitá-los. É preciso enxergar essas cobras como nossas aliadas, controladoras de pragas, joias dos nossos biomas. É preciso ampliar a educação ambiental para o ser humano conseguir viver, e não sobreviver, num futuro próximo