Após vários anos babando sobre as mais diversas fotos da Cachoeira Santa Bárbara e outras paisagens típicas da Chapada dos Veadeiros, finalmente conseguimos nos organizar para conhecer este lugar tão incrível, próximo à capital do nosso país.


A Chapada dos Veadeiros é divida entre os municípios de: Alto Paraíso de Goiás, Campos Belos, Cavalcante, Colinas do Sul, Monte Alegre de Goiás, Nova Roma, São João D’Aliança e Teresina de Goiás (sendo os destacados os mais conhecidos e que abrigam as belezas mais visitadas, além de claro, a charmosa vila de São Jorge). Escolhemos Alto Paraíso como nossa base principal por ser o município mais estruturado da Chapada.

Sob o solo da Chapada, há uma imensa concentração de Quartzo Rosa. Essa característica faz com que o local tenha um certo misticismo e qualidades enérgicas muito admiradas pelos excêntricos. (Não minto que também adoro esses assuntos). Muitos visitantes e moradores costumam dizer que observam objetos voadores na região e que não conseguem identificá-los, além de extra-terrestres e outras lendas. 

Almécegas I

Talvez pela trilha simples e facilidade de acesso, esse conjunto de cachoeiras é um dos mais comentados da Chapada. Verdade seja dita, sempre levo em mente que lugares de “fácil acesso” não serão tão belos quanto os que nos fazem ter um certo esforço e persistência. Fiquei feliz em estar errado ao conhecer Almécegas I! Este complexo fica a aproximadamente 20kms de estrada de asfalto de Alto Paraíso, sentido São Jorge.

Almécegas II

Saindo das piscinas naturais, passamos na cachoeira de Almécegas II. Com um belo poço para banho, ao chegarmos já estava bem cheia! Tinha bastante gente e acabamos ficando pouquíssimo tempo, nem conseguimos uma foto legal. Mas vale a pena parar para tomar um banho.

Vale da Lua

Já era fim de tarde quando chegamos no Vale da Lua. Faltando 20 minutos para fechar o acesso a esta atração, corremos na trilha para conhecer também, um dos pontos turísticos mais comentados da Chapada. Seguindo a linha de raciocínio referente ao complexo de Almécegas, acredito que o Vale da Lua seja tão famoso pela facilidade de acesso, além de claro, sua beleza. A trilha curta de cerca de 900m é inclinada, mas nada de absurdo.

O Vale da Lua leva esse nome devido à erosão que o rio que lá percorre causou nas pedras, tornando o chão semelhante as crateras lunares. As pedras com tonalidade cinza e ângulos incríveis realmente nos fazem sentir como se fora da terra.



No segundo dia de Chapada dos Veadeiros, foi extremamente necessário acordar cedo. Confesso que não é nosso forte acordar antes das 07h da manhã. Mas este dia prometia, pois finamente iríamos conhecer a famosa Cachoeira Santa Bárbara, a mais esperada do passeio e a mais comentada da Chapada. Mal sabíamos as fortes emoções que viriam pela frente…

São cerca de 100kms de Alto Paraíso até Cavalcante. A estrada é ótima e a paisagem melhor ainda! Se tiver sorte, conseguirá avistar vários animais da fauna local. Conseguimos ver na estrada duas cobras aproveitando o sol matutino. 

Cachoeira Capivara

A primeira parada do passeio foi na Cachoeira Capivara. Local muito gostoso e com uma super paisagem. Na parte mais alta desta cachoeira, encontram-se alguns “mini-poços” perfeitos para relaxar, enquanto na parte inferior localize-se o poço maior, com duas quedas d’água.

Cachoeira Santa Bárbara e Barbarinha

Após sairmos da Cachoeira Capivara, era hora de conhecermos a grande estrela da Chapada dos Veadeiros. Diz a lenda que dois meninos da comunidade de Kalunga saíram para explorar a região e encontraram as cachoeiras, há cerca de 15 anos atrás. Desde então, com a promessa de uma das mais belas paisagens “cachoeirísticas” do Brasil, a Chapada dos Veadeiros vem recebendo milhares de pessoas por ano, turistas nacionais e internacionais, que são atraídos principalmente pelas belas águas azuis/esverdeadas de Santa Bárbara.

Subimos no carro e seguimos para a trilha de Santa Bárbara. São aproximadamente 3,5kms de carro com estrada em condição média (sendo que com chuva deve ficar bem difícil para carros que não são 4×4) e mais 1km de trilha pelo cerrado. Este caminho é bem aberto e permite observar os belos morros que a Chapada possui, sendo o mais famoso, o Morro da Baleia.

A primeira parada é no poço e queda d’água carinhosamente chamado de Barbarinha. É como se fosse uma versão miniatura da Santa Bárbara. Já mostrando todo o seu potencial, com as belas águas azuis/esverdeadas, eu e a Gab ficamos apaixonados por essa primeira vista e acabamos ficando por lá, enquanto o resto do nosso grupo seguia para a atração principal.

Com poucos minutos de trilha, já logo chegamos na Santa Bárbara. Com uma queda bem maior que a Barbarinha, o cenário é perfeito. Envolta por rochas e vegetação, o local parece um paraíso perdido. Se não houvesse tanta gente, como no dia em que fomos, com certeza sentiríamos uma grande energia e sensação de paz. Da vontade de ficar lá horas e horas observando aquele espetáculo que a natureza criou. É realmente incrível e difícil de imaginar tanta beleza. 

Morada do Sol

No terceiro dia de Chapada, praticamente nada deu certo. Havíamos feito milhares de planos, sendo o principal deles, conhecer o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Chegando na entrada do parque por volta de 08h30, já não pudemos entrar devido a lotação máxima ter sido atingida. Sem plano B, procuramos decidir por algo que fosse relativamente próximo a que agradasse a todos. Foi aí que nos sugeriram de conhecer o complexo de cachoeiras Morada do Sol.

O complexo Morada do Sol fica super perto do parque e conta com 03 quedas d’água. Conhecemos apenas uma delas, pois ficamos bastante tempo curtindo o clima (e fugindo dos borrachudos, que lá, estavam famintos!). A paisagem dessa primeira cachoeira lembrava o Vale da Lua, pois seu solo esculpido pelo rio se assemelhava em forma deste pedaço da Chapada.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Nosso último dia de Chapada dos Veadeiros foi recheado por uma longa caminhada. Ao total, caminhamos cerca de 9kms (ida e volta). Fizemos o trecho para Saltos I e II, que são grandes cachoeiras muito bonitas! A primeira queda conta com cerca de 120m e é espetacular! Muito linda e imponente! Infelizmente, esta queda é apenas para observação. Já a Saltos II conta com um grande poço para banho, sem perder na beleza, que, de certo modo, nos lembrou a cachoeira do Buracão, na Chapada Diamantina.

Além deste percurso que fizemos, o parque conta com diversas trilhas de diferentes dificuldades. Um dos maiores trechos percorre o Parque em sua totalidade e permite o aventureiro caminhar cerca de 30kms. Vale lembrar aquele velho ditado clichê “Tire apenas fotos, deixe apenas pegadas”! Curta o parque e toda as possibilidades de aventure que a Chapada te promove, mas lembre-se sempre de respeitar o meio-ambiente.